Livro Julho Transformador

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Haverá um dia


Haverá um dia



Haverá um dia que não contemplarei a manhã
E ficarei indiferente neste momento
Haverá um dia que não terei esperança no amanhã
E serei insensível a tal acontecimento
Haverá um dia que não me importarei com a natureza
E nem perceberei tamanha beleza



Haverá um dia que não me preocuparei com novas gerações
E ficarei imparcial diante de tantas destruições
Haverá um dia que não sentirei emoções
Mesmo diante de caricias não terei alterações
Haverá um dia que não ligarei para o amor
Até diante de um “Te Amo” da minha amada



Haverá um dia que palavras como honra e dignidade
Para mim não significarão nada
Haverá um dia que não sentirei o peso de minha idade
E minhas experiências serão abandonadas
Haverá um dia que me farei de surdo aos apelos alheios
E perderei meu espírito aventureiro



Haverá um dia que me esquecerei de todos os meus amigos
Mesmo assim eles estarão comigo
Lembrar-se-ão de nossos momentos felizes
E tal reunião em si os deixarão tristes
Porque neste dia me darão um ultimo adeus
E sepultarão meu corpo que ficará a espera de Deus.






     

  

  

    

   

  

Poemas:

  
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário